Brasil x Uruguai

21/03/2016 às 17:59 | Assessoria CBF

Relembre 10 grandes jogos do clássico

Créditos: Acervo CBF

Brasil e Uruguai são protagonistas de um clássico de muita rivalidade. O confronto começou em 1916, com dois jogos e uma vitória para cada lado. De 12 de julho de 1916, portanto, a 6 de julho de 2009, com vitória do Brasil por 4 a 0, em pleno Estádio Centenário, as duas seleções se enfrentaram 73 vezes. A supremacia é do Brasil: 34 vitórias, 19 derrotas e 20 empates.

A Seleção Brasileira marcou 129 gols e sofreu 94 - um saldo positivo de 35.

Dentro deste histórico, selecionamos 10 partidas entre os dois grandes rivais do continente. Em 1950, a derrota de 2 a 1 na decisão da Copa do Mundo, no Maracanã, apesar do caráter dramático, era um resultado perfeitamente previsível. A Seleção Brasileira possuía um time espetacular, mas os uruguaios não ficavam atrás. Tanto que os jogos entre as duas seleções se pautavam pelo equilíbrio. O exemplo foram os três disputados naquele mesmo 1950, em maio, um mês antes da Copa do Mundo. No dia 6 de maio, o Uruguai derrotou o Brasil por 4 a 3, no Pacaembu; oito dias depois, o Brasil deu o troco: venceu por 3 a 2, em São Januário. E ainda venceu no dia 18, por 1 a 0, também em São Januário.

Três jogos antes da Copa

6/5/1950

BRASIL 3:4 URUGUAI

Competição: Copa Rio Branco.

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP). Público: 25.400 espectadores.

Árbitro: Cyrill John Barrick (Inglaterra). Assistentes: Estebán Marino Camel Marino (Uruguai), Juan Gambetta (Uruguai).

Gols: Zizinho, aos 2; Pérez, aos 23; Miguez, aos 27; Miguez, aos 28; Ademir Menezes, aos 30; Schiaffino (cabeça), aos 49; Ademir Menezes, aos 64.

BRASIL: Barbosa, Nílton Santos e Mauro; Eli, Ruy e Noronha; Tesourinha, Zizinho, Ademir Menezes, Jair Rosa Pinto e Chico. Treinador: Flávio Rodrigues Costa.

URUGUAI: Máspoli, Matías González e Vilches; Juan González, Obdulio Varela e Andrade (Gambetta, aos 67); Britos (Ghigghia, aos 74), Pérez, Miguez, Schiaffino e Vilamide. Treinador: Juan López Fontana.

14/5/1950

BRASIL 3:2 URUGUAI 

Competição: Copa Rio Branco.

Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ). Público: 21.500 espectadores.

Árbitro: Cyrill John Barrick (Inglaterra). Assistentes: Estebán Marino Camel Marino (Uruguai), Alberto Monard da Gama Malcher (Brasil).

Gols: Ademir Menezes, aos 3; Nílton Santos (contra), aos 23; Ademir Menezes, aos 25; Chico, aos 31; Vilamidez, aos 43.

BRASIL: Barbosa, Nílton Santos e Mauro (Juvenal, aos 46); Eli, Ruy e Noronha; Tesourinha (Friaça, aos 72), Zizinho, Ademir Menezes, Jair Rosa Pinto (Baltazar, aos 61) e Chico. Treinador: Flávio Rodrigues Costa.

URUGUAI: Máspoli, Matías González e Vilches (Gambetta, aos 64); Juan González, Obdulio Varela e Andrade; Ghigghia, Pérez, Miguez (Tejera, aos 85), Schiaffino (Romero, aos 66) e Hugo Villamide (Orlandi, ais 71). Treinador: Juan López Fontana.

18/5/1950  

BRASIL 1:0 URUGUAI 

Competição: Copa Rio Branco.

Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ). Público: 25.300 espectadores.

Árbitro: Cyrill John Barrick (Inglaterra). Assistentes: Mário Gonçalves Vianna (Brasil), Estebán Marino Camel Marino (Uruguai).

Gols: Ademir Menezes, aos 61.

BRASIL: Castilho, Pinheiro (Gérson dos Santos, aos 86) e Nílton Santos; Djalma Santos, Brandãozinho e Ely do Amparo; Friaça (Bauer, aos 62), Ademir Menezes, Baltazar (Pinga aos 75), Didi e Rodrigues. Treinador: Alfredo Moreira Júnior “Zezé Moreira”.

URUGUAI: Máspoli, Matías González e Tejera; Juan González (Gambetta, aos 65), Obdulio Varela (Pini, aos 46) e Andrade; Ghigghia, Julio Pérez, Miguez, Schiaffino (Romero, aos 65) e Vilamide (Orlandi, aos 46). Treinador: Juan López Fontana.

 

Brasil, campeão do Pan-Americano 

Em 1952, a Seleção Brasileira foi campeã dos Pan-Americano do Chile. Na semifinal, realizada ano dia 16 de maio, o Brasil venceu os uruguaios por 4 a 2, no Estádio Nacional de Santiago, com gols de Didi, Baltazar, Pinga e Rodrigues. Vale lembrar que do time uruguaio campeão do mundo dois anos antes estavam em campo o goleiro Roque Máspoli, Victor Rodriguez Andrade, Julio Perez, o carrasco Alcides Gigghia e Omar Miguez - cinco jogadores remanescentes do Maracañazo.

BRASIL 4:2 URUGUAI 

Competição: Campeonato Pan-Americano de Futebol.

Local: Estádio Nacional de Santiago (Chile). Público: 40.000 espectadores.

Árbitro: Geoffrey Sunderland (Inglaterra). Assistentes: Charles Dean (Inglaterra), John Manning (Inglaterra).

Cartão Vermelho: Ely do Amparo e Miguez, aos 57.

Gols: Didi, aos 22; Rodrigues (falta), aos 32; Abaddie (cabeça), aos 54; Baltazar (cabeça), aos 70; Pinga, aos 84; Nelson Cancela (pênalti) aos 96.

BRASIL: Castilho, Pinheiro (Gérson dos Santos, aos 86) e Nílton Santos; Djalma Santos, Brandãozinho e Ely do Amparo; Friaça (Bauer, aos 62), Ademir Menezes, Baltazar (Pinga aos 75), Didi e Rodrigues. Treinador: Alfredo Moreira Júnior “Zezé Moreira”.

URUGUAI: Máspoli, Matías Gonzalez e Héctor Vilches; Victor Rodriguez Andrade, Ubire Duran e Omar Ferreira; Alcides Ghigghia, Julio Perez (Washington Loureiro, aos 46), Omar Miguez, Julio Cesar Abaddie (Nelson Cancela, aos 65) e Ernesto Vidal. Treinador: Romeo Vázquez.

 

Vitória de virada e briga no campo

No dia 26 de março de 1959, em jogo válido pelo Campeonato Sul-Americano da Argentina, o jogo teve caráter de batalha. O Uruguai vencia por 1 a 0, quando uma brigas generalizada interrompeu a partida. Na volta, o Brasil virou para 3 a 1, com três gols de Paulinho Valentim, o que lhe valeu a transferência para o Boca Juniors, no mesmo ano, onde se tornou grande ídolo.  Leia aqui matéria sobre Paulinho Valentim.

BRASIL 3:1 URUGUAI 

Competição: Campeonato Sul-Americano.

Local: Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires (Argentina). Público: 65.000 espectadores.

Árbitro: Carlos Robles Robles (Chile). Assistentes: Isidro Ramírez Alves (Paraguai), Alberto Tejada Noriega (Peru).

Expulsão: Almir, Orlando, Mirto Davoine, Néstor Gonçalvez, aos 32.

Gols: Escalada, aos 40; Paulo Valentim, aos 62; Paulo Valentim (cabeça), aos 80; Paulo Valentim, aos 89.

BRASIL: Castilho (Gilmar, aos 32); Djalma Santos, Bellini, Orlando e Coronel (Paulo Valentim, aos 61); Formiga e Didi; Garrincha (Dorval, aos 78), Almir, Pelé e Chinesinho. Treinador: Vicente Ítalo Feola.

URUGUAI: Leiva, William Martínez, Silveira e Néstor Gonçalvez; Davoine e Mesias; Borges (Fernández, aos 31), Demarco, Douksas, Sasía e Escalada (Aguilera, aos 65). Treinador: Juan Carlos Corazzo.

 

Palmeiras representa Brasil na inauguração do Mineirão

No dia 7 de setembro de 1965, na inauguração do Mineirão, a Seleção Brasileira representada pelo time do Palmeiras fewz 3 as 0 no Uruguai, com gols de Rinaldo, Tupãzinho e Germano.

BRASIL 3:0 URUGUAI 

Competição: Amistoso.

Local: Estádio Governador Magalhães Pinto “Mineirão”, em Belo Horizonte (MG). Público: não divulgado.

Árbitro: Eunápio Gouveia de Queirós (Brasil). Assistentes: Cláudio Flávio Magalhães (Brasil), Frederico Lopes (Brasil).

Gols: Rinaldo (pênalti), aos 26; Tupãzinho, aos 35; Germano, aos 75.

BRASIL: Valdir (Picasso, aos 76), Djalma Santos, Djalma Dias, Valdemar Carabina (Procópio, aos 46) e Ferrari; Dudu (Zequinha, aos 46) e Ademir da Guia; Julinho (Germano, aos 46), Servílio, Tupãzinho (Ademar Pantera, aos 80) e Rinaldo (Dario, aos 65). Treinador: Nélson Ernesto Filpo Núñez.

URUGUAI: Taibo (Bogni, aos 74), Cincuneggi (Britos), Manicera, Varela e Caetano; Nuñez (Lorda, aos 74) e Douksas; Franco, Héctor Salvá, Héctor Silva (Virgilio, aos 46) e Espárrago (Morales, aos 46). Treinador: Ondino Vieira.

 

Vitória com gosto de Copa do Mundo

No jogo do dia 17 de junho de 1970, a vitória categórica por 3 a 1 teve sabor de forra - afinal foi jogo de semifinal de Copa, na qual o Brasil seria tricampeão do mundo. Clodoaldo, Rivelino e Jairzinho fizeram os gols.

BRASIL 3:1 URUGUAI 

Competição: Copa do Mundo.

Local: Estádio Jalisco, em Guadalajara (México). Público: 51.261 espectadores.

Árbitro: José Maria Ortiz de Mendibil Monastério (Espanha). Assistentes: Ferdinand Marschall (Áustria), Tofik Bakhramov (União Soviética).

Cartão Amarelo: Carlos Alberto Torres, aos 30; Maneiro, aos 34; Mújica, aos 57; Fontes, aos 64.

Gols: Cubilla, aos 19; Clodoaldo, aos 45; Jairzinho, aos 76; Rivellino, aos 90.

BRASIL: Félix, Carlos Alberto Torres, Brito, Wilson Piazza e Everaldo; Clodolado e Gérson; Jairzinho, Tostão e Pelé e Rivellino. Treinador: Mário Jorge Lôbo Zagallo.

URUGUAI: Mazurkiewicz, Ubiñas, Ancheta, Matosas e Mujica; Fontes, Montero Castillo e Cortés; Cubilla, Maneiro (Esparrago, aos 77) e Morales. Treinador: Juan Eduardo Hohberg.

 

40 anos depois, campeão da Copa América

Na Copa América de 1989, no dia 16 de julho, a vitória sobre os uruguaios teve gosto de campeão. No Maracanã,  Romário marcou o gol da vitória por 1 a 0 que deu ao Brasil um título que não era conquistado há 40 anos.

BRASIL 1:0 URUGUAI 

Competição: Copa América.

Local: Estádio do Jornalista Mário Filho “Maracanã”, no Rio de Janeiro (RJ).

 Público: 132.743 espectadores.

Árbitro: Hernán Silva Arce (Chile). Assistentes: Vicente Mauro (USA), Enrique Marín Gallo (Chile).

Cartão Amarelo: Ostolaza, Branco, Rubén Sosa, Perdomo.

Gol: Romário (cabeça), aos 49.

BRASIL: Taffarel, Aldair, Ricardo Gomes e Mauro Galvão; Mazinho, Silas (Alemão, aos 86,) Dunga, Valdo (Josimar, aos 86) e Branco; Bebeto e Romário. Treinador: Sebastião Barroso Lazaroni.

URUGUAI: Zeoli, Herrera, Gutiérrez, De León e Domínguez; Ostolaza (Correa, aos 69), Perdomo, Ruben Paz (Da Silva, aos 69) e Francescoli; Alzamendi e Rubén Sosa. Treinador: Oscar Washington Tabárez.

 

Passaporte carimbado para Copa dos EUA

A partida contra o Uruguai, no Maracanã, em 10 de julho de 1993, valia uma vaga na Copa do Mundo de 1994. A Seleção Brasileira cumpriu o seu papel diante de um Maracanã lotado e e carimbou seu passaporte para os Estados Unidos com uma vitória de 2 a 0, dois gols de Romário. 

10/7/1993

Competição: Eliminatórias para a Copa do Mundo

Local: Maracanã

Público: 101.670 pagantes

Árbitro: Alberto Tejeda (Peru)

Gols: Romário, 71 e 83m. BRASIL: Taffarel, Jorginho, Ricardo Gomes, Ricardo Rocha e Branco; Dung,a Mauro Silva, Raí e Zinho; Bebeto e Romário. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

URUGUAI: Siboldi, Mendez, Canals (Adrian Paz), Fernando Kanapkis e Batista; Dorta, Hereera, Gutierrez e Francescoli (Zalazar); Fonseca e Rubén Sosa. Técnico: Ildo Maneiro.

 

Jogo foi decidido nos pênaltis

Em 10 de julho de  2007, a partida valeu a passagem do Brasil para a final da Copa América da Venezuela No tempo normal, o jogo terminou 2 a 2 - a decisão foi para cobrança de pênaltis e deu Brasil, que derrotou a Argentina na final por 3 a 0 e ficou com o título. 

BRASIL 2:2 URUGUAI 

Pênaltis: Brasil 5:4 Uruguai

Competição: Copa América.

Local: Estadio José Encarnación Pachencho Romero - Maracaibo (Venezuela). Público: não disponível.

Árbitro: Óscar Julián Ruiz Acosta (Colômbia). Assistentes: Juan Carlos Bedoya (Colômbia) e Juan Carlos Arroyo (Bolívia).

Cartão Amarelo: Darío Rodríguez, Gilberto, Scotti, Pérez, Fernando, Gilberto Silva.

Gols: Maicon, aos 13; Diego Forlán, aos 36; Júlio Baptista, aos 41; Sebastían Abreu, aos 69.

BRASIL: Doni, Maicon, Alex, Juan e Gilberto; Gilberto Silva, Mineiro, Josué (Fernando, aos 72) e Júlio Baptista (Diego, aos 72); Robinho e Vágner Love (Afonso, aos 79). Treinador: Carlos Caetano Bledorn Verri “Dunga”.

URUGUAI: Carini; Fucile, Lugano, Scotti, Darío Rodríguez (Abreu, aos 46); García, Diego Pérez (Gargano, aos 74), Maxi Pereira e Cristian Rodríguez; Diego Forlán e Recoba (González, aos 46). Treinador: Óscar Wáshington Tabárez Sclavo.

Pênaltis: Robinho (1:0); Diego Forlán (1:0); Juan (2:0); Scotti (2:1); Gilberto Silva (3:1); González (3:2); Afonso (3:2); Cristían Rodríguez (3:3); Diego (4:3); Abreu (4:4); Fernando (4:4); García (4:4); Gilberto (5:4); Lugano (5:4).

 

Confira todos os confrontos da história:

12.07.16 BRASIL 1 X 2 Uruguai Buenos Aires Camp. Sul-Americano 
18.07.16 BRASIL 1 X 0 Uruguai Montevidéu Amistoso 
07.10.17 BRASIL 0 X 4 Uruguai Montevidéu Camp. Sul-Americano 
16.10.17 BRASIL 1 X 3 Uruguai Montevidéu Amistoso
25.05.19 BRASIL 2 X 2 Uruguai Rio de Janeiro Camp. Sul-Americano 
29.05.19 BRASIL 1 X 0 Uruguai Rio de Janeiro Camp. Sul-Americano 
18.09.20 BRASIL 0 X 6 Uruguai Viña del Mar Camp. Sul-Americano 
23.10.21 BRASIL 1 X 2 Uruguai Buenos Aires Camp. Sul-Americano 
01.10.22 BRASIL 0 X 0 Uruguai Rio de Janeiro Camp. Sul-Americano 
25.11.23 BRASIL 1 X 2 Uruguai Montevidéu Camp. Sul-Americano 
06.09.31 BRASIL 2 X 0 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
04.12.32 BRASIL 2 X 1 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
19.01.37 BRASIL 3 X 2 Uruguai Buenos Aires Camp. Sul-Americano 
24.03.40 BRASIL 3 X 4 Uruguai Rio de Janeiro Copa Rio Branco 
31.03.40 BRASIL 1 X 1 Uruguai Rio de Janeiro Copa Rio Branco 
24.01.42 BRASIL 0 X 1 Uruguai Montevidéu Camp. Sul-Americano 
14.05.44 BRASIL 6 X 1 Uruguai Rio de Janeiro Amistoso 
17.05.44 BRASIL 4 X 0 Uruguai São Paulo Amistoso 
07.02.45 BRASIL 3 X 0 Uruguai Santiago Camp. Sul-Americano 
05.01.46 BRASIL 3 X 4 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
09.01.46 BRASIL 1 X 1 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
23.01.46 BRASIL 4 X 3 Uruguai Buenos Aires Camp. Sul-Americano E. 
29.03.47 BRASIL 0 X 0 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
01.04.47 BRASIL 3 X 2 Uruguai Rio de Janeiro Copa Rio Branco 
04.04.48 BRASIL 1 X 1 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
11.04.48 BRASIL 2 X 4 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
30.04.49 BRASIL 5 X 1 Uruguai Rio de Janeiro Camp. Sul-Americano 
06.05.50 BRASIL 3 X 4 Uruguai São Paulo Copa Rio Branco 
14.05.50 BRASIL 3 X 2 Uruguai Rio de Janeiro Copa Rio Branco 
18.05.50 BRASIL 1 X 0 Uruguai Rio de Janeiro Copa Rio Branco 
16.07.50 BRASIL 1 X 2 Uruguai Rio de Janeiro Copa do Mundo 
16.04.52 BRASIL 4 X 2 Uruguai Santiago Camp. Panamericano 
15.03.53 BRASIL 1 X 0 Uruguai Lima Camp. Sul Americano 
10.02.56 BRASIL 0 X 0 Uruguai Montevidéu Camp. Sul-Americano 
24.06.56 BRASIL 2 X 0 Uruguai Rio de Janeiro Taça do Atlântico 
28.03.57 BRASIL 2 X 3 Uruguai Lima Camp. Sul-Americano 
26.03.59 BRASIL 3 X 1 Uruguai Buenos Aires Camp. Sul-Americano 
12.12.59 BRASIL 0 X 3 Uruguai Guayaquil Camp.Sul-Americano E. 
09.07.60 BRASIL 0 X 1 Uruguai Montevidéu Taça do Atlântico 
07.09.65 BRASIL 3 X 0 Uruguai Belo Horizonte-MG Amistoso 
25.06.67 BRASIL 0 X 0 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
28.06.67 BRASIL 2 X 2 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
01.07.67 BRASIL 1 X 1 Uruguai Montevidéu Copa Rio Branco 
09.06.68 BRASIL 2 X 0 Uruguai São Paulo Copa Rio Branco 
12.06.68 BRASIL 4 X 0 Uruguai Rio de Janeiro Copa Rio Branco 
17.06.70 BRASIL 3 X 1 Uruguai Guadalajara Copa do Mundo 
25.02.76 BRASIL 2 X 1 Uruguai Montevidéu Copa do Atlântico e Rio Branco 
28.04.76 BRASIL 2 X 1 Uruguai Rio de Janeiro Copa do Atlântico e Rio Branco 
31.05.79 BRASIL 5 X 1 Uruguai Rio de Janeiro Amistoso 
27.08.80 BRASIL 1 X 0 Uruguai Fortaleza Amistoso 
10.01.81 BRASIL 1 X 2 Uruguai Montevidéu Mundialito 
27.10.83 BRASIL 0 X 2 Uruguai Montevidéu Copa América 
04.11.83 BRASIL 1 X 1 Uruguai Salvador Copa América 
21.06.84 BRASIL 1 X 0 Uruguai Curitiba Amistoso 
02.05.85 BRASIL 2 X 0 Uruguai Recife Amistoso 
16.07.89 BRASIL 1 X 0 Uruguai Rio de Janeiro Copa América 
11.07.91 BRASIL 1 X 1 Uruguai Viña del Mar Copa América 
30.04.92 BRASIL 0 X 1 Uruguai Montevidéu Amistoso 
25.11.92 BRASIL 1 X 2 Uruguai Campina Grande Amistoso 
15.08.93 BRASIL 1 X 1 Uruguai Montevidéu Eliminatórias-94 
10.09.93 BRASIL 2 X 0 Uruguai Rio de Janeiro Eliminatórias-94 
23.07.95 BRASIL 1 X 1 Uruguai Montevidéu XXXVII Copa América 
11.10.95 BRASIL 2 X 0 Uruguai Salvador Amistoso 
18.07.99 BRASIL 3 X 0 Uruguai Assunção XXXIX Copa América 
28.06.00 BRASIL 1 X 1 Uruguai Rio de Janeiro Eliminatórias-2002 
01.07.01 BRASIL 0 X 1 Uruguai Montevidéu Eliminatórias-2002 
19.11.03 BRASIL 3 X 3 Uruguai Curitiba-PR Eliminatórias-2006 
21.07.04 BRASIL 1 X 1 Uruguai Lima - Peru XXXXI Copa América 
30.03.05 BRASIL 1 X 1 Uruguai Montevidéu Eliminatórias-2006 
10.07.07 BRASIL 2 X 2 Uruguai Maracaibo-Venezuela 42ª Copa América 
21.11.07 BRASL 2 X 1 Uruguai São Paulo - SP Eliminatórias p/ Copa 2010 
06.06.09 BRASL 4 X 0 Uruguai Montevidéu-Uruguai Eliminatórias p/ Copa 2010 
26.06.13 BRASIL 2 X 1 Uruguai B.Horizonte-MG Copa Confederações  

 

 

Leia mais

Nossos patrocinadores