STJD

23/08/2017 às 11:12 | STJD

Mogi e presidente denunciados por W.O

Créditos: Daniela Lameira

O Mogi Mirim e seu presidente Luiz Henrique de Oliveira serão julgados no Superior Tribunal de Justiça Desportiva pelo W.O na partida contra o Ypiranga/RS. Diante da Quarta Comissão Disciplinar o clube responderá por deixar de participar da partida, por descumprir obrigação legal e o regulamento e não pagar as taxas da arbitragem, enquanto o presidente do clube responsabilizado pela infração do time. O processo será julgado na próxima sexta, dia 25 de agosto, a partir das 10h.

Pela Série C, o jogo entre Mogi Mirim e Ypiranga estava marcado para dia 12 de agosto, às 15h30, mas a equipe mandante não compareceu ao campo. Após aguardar o tempo previsto no regulamento, o árbitro decretou o W.O restando a equipe visitante vencedora da partida por 3 a 0.

A decisão de não atuar partiu dos jogadores do time paulista, que com salários atrasados se recusaram a atuar em forma de protesto contra a diretoria.

Com base nas informações a Procuradoria ofereceu denúncia contra o Mogi Mirim por infração aos artigos 203 e 191 incisos I e III do CBJD.

Art. 203. Deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova ou o equivalente na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão.

PENA: multa, de R$ 100 a R$ 100 mil, e perda dos pontos em disputa a favor do adversário, na forma do regulamento.

Art. 191. Deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento:
I — de obrigação legal;
(...)
III — de regulamento, geral ou especial, de competição.
PENA: multa, de R$ 100 a R$ 100 mil, com fixação de prazo para cumprimento da obrigação.

Responsabilizado pelo time não atuar, o presidente Luiz Henrique de Oliveira responderá ao parágrafo 2º do artigo 191 do CBJD:

§ 2º. Se a infração for cometida por pessoa jurídica, além da pena a ser-lhe aplicada, as pessoas naturais responsáveis pela infração ficarão sujeitas a suspensão automática enquanto perdurar o descumprimento.

Mogi denunciado por não pagar taxas da arbitragem:

Na súmula o árbitro informou ainda que não foram pagas as taxas da arbitragem. O clube será julgado por não cumprir o regulamento e pode ser multado entre R$ 100 e R$ 100 mil por infração ao artigo 191, inciso III do CBJD.

Nossos patrocinadores